História da Four Seasons
Black-and-white historic photo of families dining in restaurant past doors with painted flowers, vase

1970–1979

A década de 1970 começou com um momento decisivo: a abertura de um hotel em Londres. Esse hotel veio balizar o rumo futuro da empresa e foi pioneiro em muitos dos serviços característicos da Four Seasons, hoje disponíveis em todo o mundo. Em poucos anos, a carteira da empresa passou a incluir 10 hotéis no Canadá e os primeiros contratos de gestão, em São Francisco e Chicago. No final da década, a Four Seasons tinha entrado no mercado americano com a sua própria marca, em Washington, DC.

1970
In 1970, abriu o Inn on the Park London (nome posteriormente alterado para Four Seasons Hotel London), mesmo no início da explosão das viagens transatlânticas de avião. Um encontro ocasional, em meados dos anos sessenta, levou Issy Sharp a conhecer uma família britânica que tinha uma propriedade na zona de Hyde Park e o plano de construir um hotel. Achavam que já havia grandes hotéis em excesso em Londres e queriam criar uma alternativa mais simples. Sharp tinha uma visão diferente: "Um hotel despretensioso e personalizado. Não para duques e duquesas, mas para pessoas que querem ser tratadas como tal e são dissuadidas pela formalidade convencional dos grandes hotéis tradicionais”. Os seus parceiros britânicos, céticos, acabariam por ser convencidos. Apesar de competir com grandes nomes, como o Savoy, o novo hotel estava praticamente sempre cheio. O Inn on the Park de Londres tornou-se o hotel do ano na Europa.
1972
Ao longo da sua história, a Four Seasons viria a tomar quatro decisões estratégicas que formaram os pilares da sua plataforma de negócio. O primeiro tinha a ver com qualidade. Pequeno, central e bem equipado, com um serviço simpático e personalizado, disponível 24 horas por dia, o primeiro hotel de Issy em Londres era exatamente aquilo que as pessoas procuravam na nova era das viagens de avião internacionais, no dealbar da década de 1970. Animado pelo seu sucesso, Sharp chegou ao primeiro pilar da plataforma de negócio da Four Seasons: em vez de querer agradar a todos, a Four Seasons iria focar-se numa coisa – ser a melhor em cada local, com hotéis de média dimensão e qualidade excecional.
1976
A segunda decisão estratégica que moldou a plataforma de negócio estava relacionada com o serviço. Em meados dos anos setenta, a empresa tinha-se virado para sul. A entrada nesse mercado iria exigir uma vantagem competitiva, e a Four Seasons decidiu que seria o serviço – o serviço excecional que tinha garantido tanto sucesso ao hotel de Londres. Assim, o segundo pilar da plataforma de negócio estava definido: o verdadeiro luxo define-se não pela arquitetura ou a decoração, mas sim pelo serviço. Por isso, a Four Seasons tem de fazer da qualidade do nosso serviço a nossa característica distintiva e uma vantagem competitiva.
1976
A Four Seasons entrou no mercado dos EUA com o primeiro contrato de gestão, para o The Clift, o emblemático hotel de São Francisco datado de 1913. Após uma profunda remodelação e após poucos anos de serviço Four Seasons, os leitores da Condé Nast Traveler elegeram o The Clift como o melhor hotel da América.
1979
Em 1979, abriu o primeiro hotel com a marca Four Seasons nos EUA, na Pennsylvania Avenue, em Washington, DC. Era o serviço que tornava o hotel especial – tanto assim que o novo Four Seasons Hotel Washington, DC, foi mencionado na introdução do livro "Na Senda da Excelência" de Tom Peters.
请注意,您即将跳转至四季酒店在中国境外运营的网站。
明白